fbpx

Os benefícios do consumo da Spirulina

por tema Informações, Resumo de Artigos Científicos 10/03/2021

 

A Spirulina é o alimento mais nutritivo e concentrado conhecido pela humanidade. Rica em proteínas, antioxidantes, fitonutrientes, probióticos (Os probióticos são microrganismos vivos benéficos para a saúde humana.) este alimento tem sido explorado para inúmeros fins terapêuticos.

A Spirulina é uma cianobactéria considerada a primeira forma de vida fotossintética do planeta, tendo surgido há 3,6 bilhões de anos [1]. Este organismo ancestral pode ser encontrado naturalmente em lagos de águas salinas e temperaturas em torno de 35ºC.

Civilizações antigas como os astecas foram as primeiras a reconhecer o valor nutricional destes organismos. O cientista espanhol Hernando Cortez já relatava o consumo de Spirulina pelos astecas no século XVI. Mais tarde, o botânico Jean Leonard percebeu que membros de uma tribo de Chade, no centro-norte da África, gozavam de uma saúde melhor que integrantes de outras tribos porque seus membros se alimentavam das “algas” que cresciam nas águas dos lagos [2].

O interesse científico nas espécies da Spirulina foi incentivado após as primeiras análises químicas da biomassa de Spirulina realizadas no final dos anos 1960. Logo depois, passou a ser estudada devido às suas propriedades nutricionais. Uma revisão científica realizada em 2017 por Magda Furmaniak e colaboradores mostrou um grande aumento no número de publicações científicas relacionadas à Spirulina ao longo dos anos [3]. Em uma busca rápida no Pubmed (plataforma de acesso à artigos científicos, mantida pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos) foram encontrados 84 artigos relacionados à Spirulina publicados somente no ano de 2020, o que demonstra o crescente interesse da comunidade científica em estudar as diversas propriedades da Spirulina.

Este crescente interesse dos cientistas e a divulgação de estudos demonstrando principalmente as propriedades nutricionais da Spirulina, fez com que importantes agências internacionais passassem a indicar e certificar o consumo deste poderoso alimento.

 Em conferência mundial das Nações Unidas (ONU) sobre produtos alimentícios, declarou-se que a Spirulina é o melhor alimento para o futuro. A Organização Mundial de Saúde (OMS) descreve a Spirulina como o melhor alimento para a humanidade, e segundo a UNESCO, a Spirulina é o alimento ideal para o consumo diário.

 A NASA e a Agência Espacial Européia, descrevem esta cianobactéria como um dos alimentos mais promissores para uso em missões espaciais, e o FDA (U.S. Food and Drug Administration), agência regulatória americana, classifica a Spirulina como uma das principais fontes de proteína e segura para consumo humano [1;3].

Além da importância nutricional, o consumo de Spirulina como fonte de proteína tem impacto positivo no meio ambiente, uma vez que o modo de cultivo deste alimento é mais sustentável em relação à proteína animal. Um estudo publicado pela revista Nature Sustainabilty, mostra que a Spirulina apresenta altos níveis de proteína, vitaminas A e B12, ferro e cálcio e que precisa de uma área de 50 até 3 mil vezes menor para seu cultivo quando comparado à produção de carne bovina, causando assim menor impacto ambiental [4].

A Spirulina apresenta uma composição nutritiva, capaz de promover o ganho de peso de crianças desnutridas, e em situação de vulnerabilidade social. A associação da desnutrição à infecção por HIV provoca um grande problema de saúde pública acarretando em altos índices de morbidade e mortalidade. O estudo realizado no país africano Burkina Faso mostra que o uso diário de Spirulina na alimentação de crianças desnutridas, com ou sem HIV melhorou consideravelmente o estado nutricional destas crianças [5]. Outro estudo realizado com indivíduos HIV positivo de Camarões, na África, mostrou que o uso diário de Spirulina na dieta promoveu o aumento do número de células CD4+ (importantes células de defesa) e uma diminuição da carga viral em comparação com indivíduos que não consumiram este alimento [6].

Vários são os trabalhos que mostram que o consumo frequente  de Spirulina ativa o sistema imune promovendo o aumento do número de importantes células de defesa e também incentiva a produção de citocinas, que são fundamentais no combate a doenças infecciosas [7; 8; 9]. A Spirulina possui atividade antioxidante e anti-inflamatória [7; 10] e seu consumo diário auxilia no processo de emagrecimento [11; 12; 13],  ajuda a controlar a glicemia [14] e a pressão arterial e ainda reduz os níveis de colesterol e triglicerídeos [15; 16; 17] e aumenta consideravelmente os níveis de vitamina A [18].

Outro benefício do consumo regular de Spirulina é o aumento da performance durante o exercício físico. Este poderoso alimento fornece energia e estimula o metabolismo promovendo a melhora da força, resistência e recuperação muscular [19; 20; 21], além de ser um ótimo suplemento para idosos que com o avanço da idade, têm perdido massa muscular e disposição [22]. 

Todos os estudos citados demonstram os benefícios e a segurança do consumo diário de Spirulina, e validam este alimento como um importante promotor de saúde e bem-estar. 

Ficou interessado em consumir a Spirulina da Spigreen? Clique aqui e procure o Distribuidor Spigreen mais próximo. 

 

Referências Bibliográficas

1 – Soni, R. A.; Sudhakar, K.; Rana, R. S. Spirulina – From growth to nutritional product: a review. Trends in food science: technology spirulina from growth to nutritional product. v. 69, p. 157- 171, 2017.
2 – Ciferri, O. 1983. Spirulina, the edible microorganism. Microbiol. Rev. 47:551–78.
3 – Furmaniak MA, Misztak AE, Franczuk MD, Wilmotte A, Waleron M and Waleron KF (2017) Edible Cyanobacterial Genus Arthrospira: Actual State of the Art in Cultivation Methods, Genetics, and Application in Medicine. Front. Microbiol. 8:2541. doi: 10.3389/fmicb.2017.02541
4 – A. Parodi, A. Leip I. J. M. De Boer, P. M. Slegers, F. Ziegler, E. H. M. Temme, M. Herrero, H. Tuomisto, H. Valin, C. E. Van Middelaar, J. J. A. Van Loon  and H. H. E. Van Zanten. The potential of future foods for sustainable and healthy diets. Nature Sustainability. 1:782–789, 2018.
5 – Jacques Simpore, Frederic Zongo, Fatoumata Kabore, Deleli Dansou, Augustin Bere, Jean-Baptiste Nikiema, Salvatore Pignatelli, Daniela M. Biondi Giuseppe Ruberto, Salvatore Musumeci. Nutrition Rehabilitation of HIV-Infected and HIV-Negative Undernourished Children Utilizing Spirulina. Ann Nutr Metab 2005. 49:373–380 DOI: 10.1159/000088889.
6 – Marthe-Elise Ngo-Matip, Constant Anatole Pieme, Marcel Azabji-Kenfack, Bruno Moukette Moukette, Emmanuel Korosky, Philippe Stefanini, Jeanne Yonkeu Ngogang and Carl Moses Mbofung. Impact of daily supplementation of Spirulina platensis on the immune system of naïve HIV-1 patients in Cameroon: a 12-months single blind, randomized, multicenter trial. Nutrition Journal (2015) 14:70 DOI 10.1186/s12937-015-0058-4.
7 –  Qinghua Wu, Lian Liu,  Anca Miron, Blanka Klímová, Dan Wan,  Kamil Kuca. The antioxidant, immunomodulatory, and anti‐inflammatory activities of Spirulina: an overview. Arch Toxicol (2016) 90:1817–1840 DOI 10.1007/s00204-016-1744-5.
8 – Selmi C, Leung PS, Fischer L, German B, Yang CY, Kenny TP, Cysewski GR, Gershwin ME. The effects of Spirulina on anemia and immune function in senior citizens. Cell Mol Immunol. 2011 May;8(3):248-54. doi: 10.1038/cmi.2010.76. Epub 2011 Jan 31. PMID: 21278762.
9 – Hirahashi T, Matsumoto M, Hazeki K, Saeki Y, Ui M, Seya T. Activation of the human innate immune system by Spirulina: augmentation of interferon production and NK cytotoxicity by oral administration of hot water extract of Spirulina platensis. Int Immunopharmacol. 2002, 2(4):423-34. doi: 10.1016/s1567-5769(01)00166-7.
10 – Alberto Finamore, Maura Palmery, Sarra Bensehaila, and Ilaria Peluso. Antioxidant, Immunomodulating, and Microbial-Modulating Activities of the Sustainable and Ecofriendly Spirulina. Oxidative Medicine and Cellular Longevity Vol 2017, Article ID 3247528, doi: 10.1155/2017/3247528.
11 – Reihaneh Zeinalian , Mahdieh Abbasalizad Farhangi , Atefeh Shariat and Maryam Saghafi-Asl. The effects of Spirulina Platensis on anthropometric indices, appetite, lipid profile and serum vascular endothelial growth factor (VEGF) in obese individuals: a randomized double blinded placebo controlled trial. Complementary and Alternative Medicine (2017) 17:225 DOI 10.1186/s12906-017-1670-y.
12 – Reyhaneh Yousefi , Azadeh Mottaghi , Atoosa Saidpour. Spirulina platensis effectively ameliorates anthropometric measurements and obesity-related metabolic disorders in obese or overweight healthy individuals: A randomized controlled trial. Complementary Therapies in Medicine 40: (2018) 106-118.
13 – Saioa Gómez-Zorita, Jenifer Trepiana, Maitane González-Arceo,, Leixuri Aguirre,, Iñaki Milton-Laskibar , Marcela González, Itziar Eseberri, Alfredo Fernández-Quintela, and María P. Portillo. Anti-Obesity Effects of Microalgae. Int. J. Mol. Sci. 2020, 21, 41; doi:10.3390/ijms21010041.
14 – Haohai Huang,  Dan liao, Rong Pu, Yejia Cui. Quantifying the effects of spirulina supplementation on plasma lipid and glucose concentrations, body weight, and blood pressure. Diabetes, Metabolic Syndrome and Obesity: Targets and Therapy 2018:11 729–742.
15 – Miczke A, Szulińska M, Hansdorfer-Korzon R, Kręgielska-Narożna M, Suliburska J, Walkowiak J, Bogdański P. Effects of spirulina consumption on body weight, blood pressure, and endothelial function in overweight hypertensive Caucasians: a double-blind, placebo-controlled, randomized trial. Eur Rev Med Pharmacol Sci. 2016; 20(1):150-6. 
16 – James J DiNicolantonio, Anusha G Bhat, James OKeefe. Effects of spirulina on weight loss and blood lipids: a review. Open Heart 2020; 7:e001003. doi:10.1136/openhrt-2018-001003.
17 –  Patricia Victoria Torres-Durán, Aldo Ferreira-Hermosillo, Arnulfo Ramos-Jiménez, Rosa Patricia Hernández-Torres and Marco Antonio Juárez-Oropeza. Effect of Spirulina maxima on Postprandial Lipemia in Young Runners: A Preliminary Report. J Med Food 15 (8) 2012, 753–757.
18 – Soudy ID, Minet-Quinard R, Mahamat AD, Ngoua HF, Izzedine AA, Tidjani A, et al. (2018) Vitamin A status in healthy women eating traditionally prepared spirulina (Dihé) in the Chad Lake area. PLoS ONE 13(1): e0191887. DOI:10.1371/journal.pone.0191887.
19 – Morgan Johnson, Lauren Hassinger, Joshua Davis, Steven T. Devor & Robert A. DiSilvestro (2016): A randomized, double blind, placebo controlled study of spirulina supplementation on indices of mental and physical fatigue in men, International Journal of Food Sciences and Nutrition.
20 – Marco Antonio Hernández-Lepe, José Alberto López-Díaz, Marco Antonio Juárez-Oropeza, Rosa Patricia Hernández-Torres, Abraham Wall-Medrano and Arnulfo Ramos-Jiménez. Effect of Arthrospira (Spirulina) maxima Supplementation and a Systematic Physical Exercise Program on the Body Composition and Cardiorespiratory Fitness of Overweight or Obese Subjects: A Double-Blind, Randomized, and Crossover Controlled Trial. Mar. Drugs 2018, 16, 364; doi:10.3390/md16100364.
21 – Maria Kalafati, Athanasios Z. Jamurtas, Michalis G. Nikolaids, Vassilis Paschalis, Anastasios A. Theodorou, Giorgius K. Sakellariou, Yiannis Koutedakis, and Dimitris Kouretas. Ergogenic and Antioxidant Effects of Spirulina Supplementation in Humans. MEDICINE & SCIENCE IN SPORTS & EXERCISE  (2019), DOI: 10.1249/MSS.0b013e3181ac7a45.22 – Hee-Jung Park  and Hyun-Sook Lee. The influence of obesity on the effects of spirulina supplementation in the human metabolic response of Korean elderly. Nutrition Research and Practice 2016;10(4):418-423.

postar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Cart