fbpx

Pesquisadores Israelenses alegam que a Spirulina pode reduzir o índice de mortalidade da Covid-19

por tema Informações, Notícias, Resumo de Artigos Científicos 26/03/2021

Um estudo feito por cientistas em Israel, Islândia e Inglaterra foi publicado recentemente (fevereiro de 2021), na revista especializada Marine Biotechnology, o artigo científico, afirma que a spirulina é uma grande aliada no combate contra a covid-19.

A pesquisa foi conduzida no norte de Israel pelo laboratório MIGAL, uma das principais instituições de pesquisa em Israel para o estudo de biotecnologia relacionada a alimentos.

Eles descobriram que um extrato de spirulina manipulada fotossinteticamente é 70% eficaz na inibição da liberação da citocina TNF-α, uma pequena proteína sinalizadora usada pelo sistema imunológico.

A citocina TNF-α é um dos agravantes dos casos de Covid-19, sendo ela responsável pela transmissão da dor, e também de agentes inflamatórios.
Em uma pequena porcentagem de pacientes, a infecção pelo coronavírus faz com que o sistema imunológico produza um número excessivo de citocinas TNF-α, resultando no que é conhecido como uma tempestade de citocinas. A tempestade causa a síndrome do desconforto respiratório agudo e danos a outros órgãos, a principal causa de morte em pacientes com COVID-19.

“Se você controlar ou for capaz de mitigar a liberação excessiva de TNF-α, poderá eventualmente reduzir a mortalidade”, disse Asaf Tzachor (co-autor), pesquisador da Universidade de Cambrige na Inglaterra.

A Spirulina tem propriedades anti-inflamatórias em sua biomassa, e seu consumo proporciona proteção ao organismo. Agindo também como antioxidante, e estimula nossas defesas naturais  e também estimula a eritropoiese (formação de glóbulos vermelhos).

“Isso indica que o extrato de algas pode ser usado para prevenir tempestades de citocinas se administrado aos pacientes logo após o diagnóstico”, disse Asaf Tzachor.

Mais estudos estão sendo ministrados na Escola de Sustentabilidade Herzliya e no instituto MIGAL de Israel, para explorar e desenvolver tratamentos “naturais” para o coronavírus. Tzachor disse que apesar do mecanismo especial de crescimento, as algas são uma substância totalmente natural e não devem produzir efeitos colaterais.

“Isso é natural, então é improvável que víssemos uma resposta adversa ou prejudicial nos pacientes, como às vezes vemos em pacientes que são tratados com drogas químicas ou sintéticas”, disse ele.

“Se tivermos sucesso nas próximas etapas”, disse a Dra. Dorit Avni, diretora do laboratório da MIGAL, “há uma série de doenças que podem ser tratadas com esta solução inovadora – como tratamento preventivo ou de suporte”. Por exemplo as gripes que também provocam tempestades de citocinas.

Tzachor disse que a equipe agora espera realizar testes clínicos em humanos. Segundo ele “Se os testes clínicos confirmarem a eficácia de nossa terapia sugerida nas taxas relatadas, a substância pode se tornar disponível para a população em geral”.

2 Comentários
  1. ELIAS JOSE DE CARVALHO FILHO 26/03/2021 at 18:40 Responder

    Uma ótima notícia para a humanidade ! E para o Brasil tendo em vista termos a spirulina mais pura.

  2. Shou já tomo a spirulina não peguei nem entendesse covid

postar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Cart